EU NASCI!

aabaj91950, 17 de julho. Bahia, Maetinga (naquele tempo, um lugarejo chamado Monte Alegre). Ah, outra coisa: o povoado integrava a Comarca de Condeúba, que era a principal cidade da região. Meu pai era natural de Malhada de Pedras, uma pequena cidade que fica situada perto de Brumado. Minha mãe, prima de meu pai, nasceu na Fazenda Gameleira, onde eu também nasci, que distava a 6 quilômetros da romântica Monte Alegre. Meu avô materno, foi o respeitado Capitão Frutuoso José de Lima, Líder e Conselheiro Religioso no sertão baiano.

Desde cedo, comecei a trabalhar na roça com meus irmãos. Entendo um pouco de cada coisa do que se faz na lida do campo. Cresci apreciando a genuína música brasileira: a de raiz, com Tonico e Tinoco, Tião Carreiro e tantos outros astros. Fiz o curso primário em dois períodos de três meses, tendo cursado o ensino fundamental através do antigo sistema de admissão ao ginásio. Percebi, desde a infância, que possuía um certo grau de premonição. Sempre fui muito autêntico e nunca gostei de falsidade. A literatura me fascina. Gosto de escrever e editei alguns livros. Atuei no magistério por muitos anos na rede pública de ensino, mas no jornalismo me completei profissionalmente. Fui vereador e exerci alguns cargos políticos, mas acho que é muito difícil encontrar político bem intencionado.

Frequentei muitos templos religiosos, respeito todos os credos, mas tive inúmeras decepções nesse segmento. Sou bem casado, tenho três filhos maravilhosos e quatro netos lindos que me enchem de alegria. Minha nora e meu genro são também meus filhos queridos.

Conheci, em 1983, nem sei como, uma Escola Filosófica, com a qual me identifiquei. Finalmente, tive um encontro comigo mesmo por meio de iniciações místicas. Creio nos mistérios da vida, na Eternidade com Deus e com os seres celestiais. Sei que não existe o acaso e que todas as coisas acontecem com a permissão divina, com o objetivo de aprimorar o caráter do Homem, num processo evolutivo natural, na busca do Desconhecido. “Tudo o que o Homem semear, isso também ceifará.” É a regra clara e ninguém pode fugir dela, porque a Lei do Carma é universal, quer o Homem aceite ou não esse princípio da Tradição Primordial.