No Jardim – Poema

Fui ao jardim apenas para chorar, sentindo no peito imensa saudade. As lágrimas caíam sem parar, Ele me falava da Eternidade. Como voz de anjo me dizia, “Papai, fique na paz, tenha alegria!” me consolando de verdade. Meu filho, tão amado e companheiro, segurava a minha mão com amor. O mistério ali era revelado: no…

REPENSANDO A VIDA

Repensar a vida consiste em rever valores. Receber o inevitável serenamente, Depositar ao leito do regato antigos pudores, Aceitar o que a vida nos reserva inteiramente. É existir sem temor de ser feliz. É padecer e abrigar a angústia da alma Tendo ciência que somos meros aprendizes. Intentar não perecer, mantendo a calma. Rebuscando meu…

Saudade das Borboletas

Às margens do caminho, nas sombras de verdes matas; borboletas multicores voavam serenamente. Lindas como quê, embelezavam as florestas; ninguém poderia imaginar que tudo acabasse tão de repente. Não se vê mais borboletas sobrevoando as campinas; tudo, quase tudo, parecem ruínas… onde estão as bonitas borboletas, pintadas de muitas cores? A saudade aperta o peito,…

Poema: Lágrima da Alma

Uma lágrima rola em seu lindo rosto; Por que tanto desgosto, se ainda vale a pena viver? Esse amargor na alma há de ter cura, eis que te tornarás segura: uma esperança nova vai nascer!… De repente, um novo dia surge, de paz e imenso amor; voltará a sorrir em plena felicidade. O desânimo deixará…

Lisboa da História

Lisboa de Camões e de Pessoa: tantos poemas que a história entoa, Inda é palco de sucesso nestes dias. Tempo das velhas embarcações, as caravelas! Saudade imensa, restando as quimeras; os descobridores são lembrados com nostalgias. Quem passa pelas ruas antigas do Chiado, Tantos lugares e vielas, um mundo encantado… sente mudança profunda em cada…