FRATER VELADO

Frater Velado Monge C. A. Vicente Velado R. Marcier (Macarlo) foi ordenado Exorcista na Ordem dos Frades Pregadores (Dominicanos) aos 19 anos de idade, na qualidade de irmão leigo. Durante sua maturidade viveu numerosas experiências místicas, tendo sido, inclusive, iniciado (raspado) no Candomblé, culto africano no qual deu as obrigações, recebeu deká e abriu casa…

Virtudes e Defeitos – P/120

Quem, dentre nós, seria assim tão perfeito? Ninguém. “a perfeição não é coisa deste mundo” Quem há de se justificar, querendo ser bom sujeito? Nem mesmo os grandes mestres, com um viver fecundo. Quem, dentre nós, poderia inventariar os defeitos? Todos somos cheios de manias, todos somos errantes! Alguns de nós nem se aproximam, porque…

A Ceia – P/119

Na noite em que foi traído… O convite para a Santa Ceia O Mestre se achava combalido De vinho a taça estava cheia… O pão da vida se faz presente Em pequenos pedaços cortado; “…em memória de mim” somente O pão e o vinho, ato sagrado… “examine-se, pois, o homem…” E, assim, pode comer deste…

Terra de Canaã – P/118

Não, digno povo de Deus, israelita! Inútil a procura de incêndios pela manhã… Muita gente mutilada que se agita. Cântico dos cânticos, rumo a Canaã. Voando mais baixo, .desce um caça… No comando, corajoso, o piloto hebreu, Motores acelerados, o pavor da massa. O chão sagrado, que a si mesmo prometeu. O holocausto quer evitar,…

Japorã, Terra de Esperança – P/117

Japorã, terra querida, de tantas lembranças… Um povo varonil, terra de muita esperança. Pequenina, que um dia me abrigou feliz… Encravada no sul, na fronteira és benquista, Quisera te honrar, dentre tantas, humanista. Tua história tem heróis. tua gente te bendiz Em teu solo bendito, sangue foi derramado Em mãos covardes, lourenço assassinado. Morre um…

Naviraí, Capital do Sul – P/115

Araras em Naviraí É assim que te chamam, cidade querida! No cone sul, a que mais cresce; O teu povo, cantando te enaltece. Em ti, os visitantes encontram guarida… Tua história fascina, capital do sul João martins cardoso, começou… Virote, determinado, ali encantou Lindos rios, e o céu parece mais azul… Homens dignos, construindo com…

Ao Pé do Túmulo – P/114

Túmulo de Allan Kardec Minh’alma é como a pena branca, Para um ninho gentil de gaturamo… Vai com ela assim, de ramo em ramo, O vento amigo da poeira arranca…. O poeta, exclama, com alguns sussurros “leva-me, ó coração, como esta pena, De dor em dor até à paz serena.” Henrique castriciano vai com esturros.…