O Desterro – P/016

De repente, sem que tal coisa imaginasse, sem perceber que a solidão se aproximasse, me achava tão só, num lugar distante… longe de minha terra querida, suspirava; a saudade batia forte, dos amigos lembrava e com lágrimas nos olhos, sofria bastante. Em terra estranha, sou apenas um peregrino, sei que um dia voltarei, cumpro meu…

Seguindo o Mestre – P/011

Seguindo o Mestre Peregrinando, segue o Mestre o seu caminho, quero segui-lO, como discípulo que sou. Vou respirando a paz que ele carrega… pelo calcanhar de sua peregrinação eu vou. Essa atitude mística quero perseguir, com amor profundo, na doce alquimia… embora eu leve uma culpa, sou buscador, um discípulo de areias, com muita alegria.…

Meu Pai – P/010

A idade traça um limite O sofrer, a dor, o tempo… é um forte, não se desvanece, A saudade é que o entristece. Distante o passado, sofrimento.  A luta, o trabalho fatigante, Os filhos, a esposa, enfim… Coragem, determinação, amor. Na ferramenta, descia o suor Sempre vencendo, era assim.  Via a prole crescer, e feliz,…

O Escritor

Jairo de Lima Alves é licenciado em Letras Anglo-Portuguesas, tendo por muitos anos se dedicado ao magistério na área de Lingüística e Literatura. No mundo literário, estreou com “Reflexos da Pena”, uma trajetória do jornalismo interiorano, em edição independente, que marcou época pelos assuntos polêmicos tratados na Obra. Mais tarde escreveu “Viagem ao Inferno” e…

Uma Linda Mulher – P/009

Incomparável mulher que eu vi, De manhã, noite e dia, Me agrada sempre, me dá alegria. Não é como outra qualquer… Me protege, me ampara, sorri; Pura, sem mácula. Beleza;Amor, carinho sem preço, firmeza. Desse jeito só minha mulher!   Criatura divina, e toda minha! Traços naturais, predicados de amor; Na simplicidade, é uma flor; Não é como outra qualquer……

Meu Cãozinho Léo P/008

Vi que uma menina chorava, se lamentava tristonha o lamento parecia ser banal, mas era real o choro… pobre Rafaela, em seu ser uma tristeza medonha: sentia-se tão sozinha, porque morrera seu cachorro. Não era um cão qualquer, o Léo era bem querido, um cãozinho ensinado, que dava alegria ao dono… oito anos de convivência,…